Em abril do ano passado, os deputados aprovaram um projeto de lei sobre o tema. O texto seguiu para o Senado e sofreu alterações, voltando para a Câmara. Caso não aceitasse as mudanças feitas pelos senadores, plevaleceria o texto já aprovado pelos deputados.

Aprovado pelos deputados, o projeto segue para sanção presidencial e só então entra em vigor.

Caberá aos municípios e ao Distrito Federal:

De acordo com o texto aprovado pela Câmara, quem não cumprir as exigências pode ser enquadrado nas sanções por transporte ilegal de passageiros.

Posicionamento das empresas

O texto aprovado pela Câmara dos Deputados foi comemorado pelas empresas que operam transporte por aplicativo.

A Uber enviou nota à imprensa afirmando que sempre defendeu a regulamentação do transporte prestado por meio de aplicativos e que “o novo texto hoje aprovado pela Câmara dos Deputados ouviu a voz dos 20 milhões de usuários e 500 mil motoristas parceiros que encontraram na Uber novas formas de mobilidade e de geração de renda no Brasil”.

Em nota, a Cabify afirmou que “o Congresso ouviu as vozes dos milhões de usuários e centenas de milhares de motoristas dos aplicativos de mobilidade ao aprovar o texto com as emendas e criar uma desejada regulamentação – contrapondo-se ao texto original, uma proibição velada aos apps de mobilidade”. A empresa disse ainda que espera que o presidente oiuça a população para sancionar o texto aprovado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here