​O fenômeno de atravessar paredes pode ser explicado fisicamente pelo conceito de tunelamento quântico com o uso de termos como partículas, átomos, energia e barreiras.

Ou por um vídeo divertido de três minutos elaborado por um adolescente mineiro de 16 anos que disputa, pelo terceiro ano seguido, o prêmio principal de um concurso global de ciências da vida, física e matemática.

O adolescente em questão é Diogo Afonso Leitão, estudante do segundo ano do ensino médio de um colégio particular de Belo Horizonte. Ele recorreu ao boliche para explicar o conceito físico, em um vídeo que está entre os 16 finalistas do Breakthrough Junior Challenge. O desafio atraiu 12 mil candidatos com idades entre 13 e 18 anos, de 190 países.

“Eu pesquiso o assunto há três anos. Foram dois meses editando o vídeo, em um roteiro construído ao longo do tempo. Cada animação demorou um dia inteiro para ficar pronta”, afirmou.

Diogo considera o conceito magnífico. “É incrível pensar que, de alguma forma, é possível atravessar uma barreira. A física quântica tem fenômenos incríveis.”

Para fazer o vídeo, Diogo recorreu a fóruns especializados. “Foi frustrante, às vezes. O único lugar que dava para fazer perguntas era no fórum, e as respostas vinham com equações que eu não fazia ideia de como resolver. Tive que ralar muito para fazer esse roteiro”, conta.

Se vencer, Diogo embolsará US$ 250 mil (valor acima de R$ 1 milhão). Outros US$ 50 mil (cerca de R$ 205 mil) vão para o professor que inspirou o aluno. A escola do estudante —no caso do mineiro, o colégio Loyola— recebe um laboratório científico de última geração avaliado em US$ 100 mil (aproximadamente R$ 410 mil).

Não é a primeira vez que ele fica perto de ganhar o desafio, que está em sua quarta edição. É a terceira, na verdade. Em 2016, também esteve entre os 15 finalistas, falando sobre a dualidade onda-partícula. Resumo: toda matéria tem o comportamento de onda e de partícula. “É fascinante”, afirma.

O prêmio, porém, foi dividido por duas adolescentes, uma de Singapura e outra do Peru, que fizeram vídeos sobre insetos e bactérias super-resistentes e emaranhamento quântico, respectivamente.

Já em 2017, Diogo foi semifinalista da competição com um vídeo sobre a Teoria da Relatividade de Albert Einstein.

Assunto árido para muitos estudantes, a ciência sempre despertou o interesse do mineiro. “Sempre fui apaixonado por ciência, por física. Com 7 anos, adorava ver documentários sobre os mistérios do universo”, diz.

Aos 12 anos, ele criou um canal no YouTube, Portal da Ciência, que hoje tem quase 58 mil inscritos e cujos vídeos somam mais de 2 milhões de visualizações. A ideia dele é contribuir para a divulgação científica no país e divulgar discussões físicas, de astronomia e matemática.

A afinidade com as ciências exatas foi herdada da avó materna, Neiva Darc Ladeira Afonso, 73. “Ela era professora de matemática e me inspirou muito a gostar de exatas e de ciências”, diz.

Diogo também tem na bagagem duas medalhas na Copa Brasil de Matemática: uma de ouro em 2015 e uma de prata no ano seguinte.

Apesar de todo o histórico com exatas, o adolescente pretende prestar vestibular para Direito. “Mas, se eu conseguir o prêmio, quero estudar ciências políticas nos EUA e depois voltar ao Brasil”, afirma.

“Tenho um sonho, que é ajudar o meu país. O sistema político que existe garante a impunidade dos políticos corruptos, e a política é usada não para garantir a felicidade do cidadão, e sim para beneficiar e enriquecer os poderosos”, diz.

Os 16 finalistas terão os trabalhos revisados pelos ex-astronautas Scott Kelly e Mae Jemison e a escritora Lucy Hawking, filha de Stephen Hawking, entre outros nomes. O vencedor será anunciado em 4 de novembro.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here