A falta de combustível nos postos, provocada pela greve dos caminhoneiros, poderá prejudicar o uso da internet e dos smartphones. As empresas do setor de telecomunicação estão com dificuldade de realizar a manutenções na infraestrutura por não ter como abastecer seus veículos.


O SindiTelebrasil, entidade que representa empresas prestadoras de serviços de telecomunicação, fez um pedido formal à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), no domingo (27), para que a frota de veículos utilizada para fazer a manutenção e o reparo da rede tenha prioridade no abastecimento.



Segundo nota publicada pelo SindiTelebrasil, “as prestadoras estão com estoques de combustível praticamente zerados” e informou que, “se não forem tomadas medidas emergenciais, os serviços de manutenção e reparo não poderão ser realizados”.


Os problemas de sinal podem prejudicar não só os consumidores individuais, mas também hospitais, bombeiros e até a segurança pública, que podem ter serviços de telefone, SMS e internet suspensos por eventuais falhas.


A ABRANET, que representa provedores de acesso à internet, afirma que ainda não foram registrados problemas como a queda de sinal, mas as empresas já enfrentam dificuldade para realizar instalações e reparo.


A Anatel confirma que recebeu o pedido encaminhado pelo SindiTelebrasil, mas ainda não tem um posicionamento oficial. Ao R7, disse que está “agindo dentro de suas competências.”


Veja também: WhatsApp: aprenda a escrever com quatro diferentes tipos de letras





DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here