O governo do Japão pediu nesta segunda-feira (22) que o Facebook melhore a proteção dos dados pessoais de seus usuários após falhas este ano que afetaram dezenas de milhões de pessoas no mundo.


Leia também: Acionistas do Facebook apoiam saída de Mark Zuckerberg





Pequim pediu que a maior empresa de mídia social do mundo comunique todos os problemas de segurança aos usuários, aumente a vigilância sobre provedores de aplicativos em sua plataforma e informe os reguladores de qualquer mudança nas medidas de segurança.


A solicitação vem depois que o Facebook disse neste mês que hackers roubaram dados de 29 milhões de contas de usuários. Depois da revelação de abril, de que informações pessoais de quase 87 milhões de usuários foram acessadas indevidamente pela empresa britânica Cambridge Analytica.


Leia também: Usuários do Facebook reclamam da falta de aviso sobre vazamentos


A Comissão de Proteção de Informações Pessoais do Japão, que investigou o caso da Cambridge Analytica com autoridades do Reino Unido e de outros lugares, emitiu uma declaração nesta segunda-feira detalhando seu pedido ao Facebook. A solicitação não contém ordens administrativas ou penalidades e não é juridicamente vinculativa.


A rede social prometeu detalhar em seu site em japonês como atenderá ao pedido, disse a Comissão.


O órgão japonês também disse que o caso da Cambridge Analytica afetou potencialmente 100 mil usuários no Japão, e que o ataque cibernético deste mês também pode ter impacto sobre os usuários japoneses.


Representantes do Facebook não responderam imediatamente a um pedido da Reuters por comentários.


Veja também: Aprenda 5 maneiras para ter uma conta mais segura no Facebook







LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here