A possibilidade de traçar estratégias de negócios a partir de dados coletados de uma máquina de refrigerante foi o tema da palestra com executivos da Coca-Cola na segunda-feira (12) no South by Southwest (SXSX), festival de inovação que acontece em Austin, nos Estados Unidos.

Ao lado de representantes da empresa brasileira de tecnologia CI&T, eles falaram sobre a máquina que permite ao consumidor montar sua própria bebida, com dezenas de sabores possíveis. A ferramenta envia os dados sobre a preferência dos consumidores para a empresa, que desenvolve estratégias a partir dessas informações.

As máquinas de Coca-Cola “Freestyle” foram apresentadas ao mundo em 2009, mas só ganharam o mercado em 2014. Por uma tela sensível ao toque ou por um aplicativo, o consumidor pode fazer uma combinação entre 165 sabores e produtos da empresa, que vão desde a Coca-Cola tradicional até Powerade, água Dasani, e refrigerantes menos comuns, como Mello Yello. Há também sabores como cereja, baunilha e uva. Cerca de 50% das opções são de baixo ou nenhum teor de calorias.

No entanto, mais do que servir para mostrar ao consumidor as possibilidades de combinações de ingredientes e apresentar marcas, a máquina tem uma função mais estratégica: obter informações sobre preferências e características dos consumidores.

A partir dos dados coletados com a máquina Freestyle, a Coca-Cola criou novos sabores para suas bebidas tradicionais, como o Sprite Cherry e o Sprite Cherry Zero.

‘Montanha de dados úteis’

Tissiana Nunes Costa, diretora de negócios da CI&T, explica que “a máquina sincroniza informações em um servidor todos os dias”.

Durante a palestra, Michael Connor, diretor de engenharia e inovação da Coca-Cola, enfatizou a necessidade de obter informações de formas inteligentes. “Nós percebemos que a tecnologia não resolve os problemas, é apenas um caminho para ajudar a resolver o problema, você tem que ter a informação.”

“Temos essa máquina há dez anos e foi muito importante para o negócio da Coca-Cola”, complementou Stubbs.

Não há previsão de trazer uma dessas ao Brasil até o momento. As Freestyle já estão em grandes cadeias americanas, como Burger King e Wendy’s, além de também estarem disponíveis para o público em países da Europa e África. Na América do Sul, apenas o Chile tem máquinas Coca-Cola Freestyle.

No SXSW, também não foi fácil encontrar uma máquina.A reportagem conseguiu ver uma em um hotel, mas ela estava disponível apenas para os funcionários.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here