Empresa usou como justificativa um recurso contra decisão tributária do bloco que determina o pagamento de US$ 15 bi em impostos atrasados à Irlanda

Apple e os impostos



A Apple recusou convite para audiência de parlamentares da União Europeia (UE), dizendo que não quer prejudicar sua apelação de uma ordem da UE para pagar até US$ 15 bilhões (cerca de R$ 55 bilhões) em impostos atrasados ​​para a Irlanda.


Uma comissão do Parlamento Europeu agendou a audiência sobre a evasão fiscal para 21 de junho.


Em carta ao comitê divulgada pelo parlamentar, Sven Giegold, do Partido Verde, no Twitter nesta sexta-feira, a Apple disse esperar que a segunda maior corte da Europa decida sobre seu recurso.






“É importante garantir que o comentário público não prejudique esses procedimentos”, escreveu Claire Thwaites, diretor sênior de assuntos governamentais da Apple, na carta.


“Uma vez que o recurso está em curso e poderá ser ouvido no Tribunal Geral num futuro próximo, não poderemos participar numa audiência pública sobre este tópico, uma vez que poderia ser prejudicial para os processos no Tribunal e quaisquer potenciais apelos posteriores”, disse Thwaites.





A Irlanda também entrou com recurso contra a decisão tributária da Comissão Europeia de agosto de 2016, dizendo que o acordo estava de acordo com as leis da UE e da Irlanda.


O órgão regulador da concorrência informou nesta sexta-feira esperar que o valor total do imposto seja pago o mais rápido possível para que possa avançar com o processo aberto contra a Irlanda em outubro do ano passado. A Apple pagou a primeira parcela no mês passado.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here